Resenha: Lola e o Garoto da Casa ao Lado


Título: Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Autor: Stephanie Perkins
Páginas: 285 páginas
Editora: Novo Conceito
A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.


                                      Minha opinião:                                     

Não há como começar uma resenha de Lola e o Garoto da Casa ao Lado sem falar de Anna e o Beijo Francês, aliás foi exatamente pela repercussão da leitura de ‘Anna’ que decidi conhecer mais esta obra de Stephanie Perkins. Se o primeiro livro da autora me deixou bastante satisfeita não poderei dizer o contrário de Lola e o Garoto da Casa ao Lado.

O livro narra a estória de Lola, uma garota de estilo peculiar, que prometeu nunca usar o mesmo traje mais de uma vez e que está sempre com roupas vibrantes, coloridas, selvagens e brilhantes, combinadas com perucas e acessórios feitos por ela. Lola leva uma vida perfeitamente confortável sobrevivendo ao Ensino Médio e sendo uma boa filha, mesmo com um namorado roqueiro ao seu lado, é quando seu maior pesadelo volta para assombra-la: os gêmeos Bell, Cricket e Calliope. É assim que ela se em uma encruzilhada com o garoto da casa ao lado.

“E não quero que ele pense que Cricket Bell significa para mim algo que não significa mais. Esse capítulo de minha vida já era.”
Página 43 (Lola e o Garoto da Casa ao Lado)

Como de costume, Perkins soube trabalhar uma estória clichê, desenvolvendo com sua escrita única uma estória que tinha tudo para ser água com açúcar, mas que é capaz de nos proporcionar boas risadas. Construiu um bom enredo, com personagens marcantes e fortes e deu seu toque irônico à narrativa. O leitor também pode reviver um pouco de Anna e o Beijo Francês, já que Anna e Saint Clair também aparecem no livro como personagens secundários, mas é bom matar a saudade dos dois.

Além do aparecimento de Anna e Saint Clair como secundários, não há semelhança entre as estórias. É bastante previsível e continuar a leitura se dá apenas para que se veja o desenrolar dos fatos, mas não porque eram intrigantes.

É uma ótima opção para quem procura um bom livro para se distrair e se divertir.

Beijos,
Amanda

2 comentários:

  1. Gostei muito da resenha :D
    Eu estou ansioso para ler este livro a muito tempo. *.*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Felipe! É um livro bem leve e acredito que você iria gostar! :)

      Excluir



Visualizações

Arquivo

Categorias