Resenha: Memórias de um Sargento de Milícias

Título: Memórias de um Sargento de Milícias
Autor: Manuel Antônio de Almeida
Páginas: 197 páginas
Editora: Editora Saraiva

Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida, é considerado um dos mais importantes romances brasileiros e inscreveu-se de forma permanente na história da literatura. Seu estilo leve, ágil, e seus personagens que oscilam entre a malandragem e a ironia fizeram dela uma obra única no cenário do século XIX.






Minha opinião:

Memórias de um Sargento de Milícias poderia facilmente ter seu título alterado para Memórias de um Sargento de Malícias. A obra foi publicada, inicialmente, em folhetins, por isso possui capítulos curtos, além da leitura ágil e leve. A obra se passa no Rio de Janeiro, do século XIX, durante a chegada da família real portuguesa ao Brasil, apesar de ter sido escrita posteriormente a este fato, o que dá ao livro o título de memórias, pois são narrados fatos passados em relação à época em que os capítulos foram publicados.

O livro conta a estória de Leonardo, filho de uma pisadela e um beliscão. Leonardo-Pataca e Maria das Hortaliças, um mascate, que vendia roupas em Portugal, e uma verdureira, conhecem-se no navio em sua viagem de vinda ao Brasil, onde resolvem morar juntos (um fato catastrófico para a época). Surge a primeira parte importante da estória, Maria das Hortaliças concebe um bebê, batizado com o nome de Leonardo, porém a descrição do livro é a seguinte:

“Quando saltaram em terra começou a Maria a sentir certos enojos: foram os dois morar juntos: e daí a um mês manifestaram-se claramente os efeitos da pisadela e do beliscão; sete meses depois teve Maria um filho, formidável menino de quase três palmos de comprido, gordo e vermelho, cabeludo, esperneador e chorão; o qual, logo depois que nasceu, mamou duas horas seguidas sem largar o peito. E este nascimento é certamente tudo o que temos dito o que mais nos interessa, porque o menino de quem falamos é o herói desta história.”

Página 11 (Memórias de um Sargento de Milícias)

A princípio não há muitos questionamentos no trecho acima, porém olhando com cautela surgiu-me uma dúvida, se o menino nasceu prematuro, como poderia ter cabelos, ser gordo e grande? Pode-se contar o tempo em que estiveram a bordo, porém ainda assim a criança poderia vir a não ser filho de Leonardo-Pataca, como o leitor pode ver se prestar atenção. Não fica claro de quem é o filho, e muito menos se a criança é prematura, mas o mais importante é que não se fala com clareza que Leonardo-Pataca é pai deste bebê, logo é uma hipótese, assim sendo não necessariamente esta criança era filho dele.

Outro aspecto é que Leonardo (o bebê do trecho) não pode ser considerado um herói, pois não há herói chorão nem guloso. Como se confirma durante o livro, Leonardo é o nosso anti-herói e protagonista, é também o nosso malandro, vivendo dos prazeres.

Uma obra que não faz julgamento moral dos personagens. Manuel Antônio de Almeida retrata lados da sociedade que eram esquecidos no romantismo, o subúrbio, os pobres, os ciganos, a sociedade distorcida. A principal valorização do Romantismo é o casamento, como visto em Senhora, porém neste livro Maria e Leonardo-Pataca moram juntos, ao contrário de outros personagens de livros desta escola literária.

A leitura tem aspectos que a caracterizam como leve, porém é preciso que se leia com mais afinco e se busque nos detalhes a mensagem. Existe uma outra estória por detrás desta obra, uma estória que foi narrada nas entrelinhas, trazendo o lado esquecido da sociedade e abrindo as portas para Dom Casmurro.

Um dos principais motivos que me incentivaram a lê-lo foi sua presença obrigatória na lista da Fuvest, porém é um livro que deve-se ler com bastante atenção. Recomendo a leitura.




2 comentários:

  1. É uma leitura muito boa!
    Obrigado por me ajudar estava tentando ver uma critica a mais sobre essa obra! A do nenê ali é muito boa pois n diz claro se Leonardo é filho do Pataca!

    ResponderExcluir
  2. É uma leitura muito boa!
    Obrigado por me ajudar estava tentando ver uma critica a mais sobre essa obra! A do nenê ali é muito boa pois n diz claro se Leonardo é filho do Pataca!

    ResponderExcluir



Visualizações

Arquivo

Categorias